Mercado

Qual é a raça de porco mais criada no Brasil?

Os suínos são animais de grande importância na agricultura e na economia brasileira, sendo a suinocultura uma atividade essencial para o abastecimento de carne suína no mercado interno e para exportação. O Brasil destaca-se como um dos principais produtores e exportadores de carne suína do mundo, graças ao desenvolvimento de técnicas avançadas de manejo e ao melhoramento genético dos rebanhos.

As raças de suínos mais criadas no Brasil são:

  1. Landrace:
  • Uma das raças mais produzidas no Brasil.
  • Características: pele e pelagem finas.
  • Peso: adultos chegam a pesar até 300 kg.
  • Idade ideal para abate: entre 5 e 6 meses, com aproximadamente 120 kg.
  • Destaque: excelente performance na produção de carne.
  • Utilização: fêmeas muito usadas como matrizes.
  1. Large White:
  • Características: bom ganho de peso diário e bom rendimento da carcaça.
  • Pelagem branca e animais de grande porte.
  • Utilização: fêmeas frequentemente usadas como matrizes.
  • Comum o cruzamento com Landrace para produzir matrizes industriais.
  1. Duroc:
  • Vantagens: qualidade elevada da carne e rusticidade.
  • Raça terminadora muito utilizada globalmente.
  • Características: qualidade de marmoreio da carne e resistência dos leitões.
  • Aparência: pelagem vermelha, animais ágeis, flexíveis e fortes.

Estas três raças compõem mais de 90% da produção suína de abate no Brasil. Outras raças, como Pietran, Hampshire e Wessex, são utilizadas em menor escala. A preferência pelas raças Landrace, Large White e Duroc deve-se às suas características superiores de produtividade, qualidade da carne e adaptabilidade às condições de criação brasileiras. O contínuo investimento em melhoramento genético e tecnologias de manejo garante a competitividade do setor suinícola brasileiro, proporcionando carne suína de alta qualidade tanto para o mercado interno quanto para exportação.

Lucas Alves

Jornalista e revisor. Atualiza diariamente as principais notícias do mercado agrícola.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo